Como Montar uma Loja Virtual: Veja 5 Dicas

Você está pensando em como montar uma loja virtual e não sabe por onde começar?

Você está pensando em como montar uma loja virtual e não sabe por onde começar? Fique calmo, pois neste texto nós iremos destacar alguns dos pontos principais que você precisa ter em mente para iniciar o seu negócio.

Este tipo de comércio pode acabar demandando uma complexidade um pouco maior do que uma loja física, mas não se preocupe, pois isso não necessariamente quer dizer que é algo mais difícil.

Ter uma loja virtual demanda atenção a detalhes que não são necessários em um comércio convencional, mas também é verdade que eles podem tornar suas tarefas ainda mais práticas.

1- Defina o Planejamento

Muito antes de pensar na estratégia e estrutura que serão utilizados, é preciso definir quanto você está disposto a investir, pois o restante do planejamento deve estar alinhado com sua perspectiva de investimento.

Por exemplo, existem muitos vendedores pequenos apostando em dropshipping, marketplaces ou mesmo apostando no seu próprio e-commerce.

Para saber qual é a melhor opção para o seu negócio, você pode se fazer algumas perguntas elementares:

  • Qual será o foco de atuação do seu negócio?
  • O que você irá vender?
  • Você terá estoque ou fará dropshipping?
  • Quais serão as formas de entrega que serão disponibilizadas?
  • Qual é a melhor plataforma para o tamanho da infraestrutura do seu negócio?

Vale lembrar que essas são algumas perguntas iniciais que muitos empreendedores irão responder após realizarem algumas pesquisas, mas são importantes porque irão dar o direcionamento necessário.

A partir disso, tente planejar suas operações, pelo menos, para o período de um ano. Desta forma, você não irá comprometer o seu fluxo de caixa.

Se você ainda não possui experiência nos negócios, procure se aprofundar e fazer cursos, principalmente na área de lojas virtuais e e-commerce.

Essa margem financeira e de tempo te permitirá aprofundar-se um pouco mais com o avançar dos meses e definir melhores rumos para o seu negócio.

2- Regularize sua Loja Virtual

A regularização da sua loja, além de ser uma etapa obrigatória para os comerciantes brasileiros, também irá ajudar a conferir credibilidade à sua marca.

Você pode abrir um CNPJ, mas se for um empreendedor pequeno, poderá optar pelo MEI.

Desta forma, você irá realizar todas as funções de um negócio dentro da legislação, mas com menos burocracia para lidar em comparação com uma empresa grande.

Na hora de colocar sua loja virtual no ar, não se esqueça de compartilhar o número do CNPJ e outras informações relevantes sobre o cadastro da sua empresa.

Ao identificar essas informações, os consumidores verão que se trata de uma marca confiável da qual poderão comprar.

3- Defina a Plataforma da sua Loja Virtual

A plataforma que você escolher precisará contar com algumas funções que são essenciais para toda loja virtual, como:

  • Cadastrar produtos;
  • Adicionar e remover itens para serem vendidos;
  • Disponibilizar diferentes formas de pagamento;
  • Mostrar as formas de entrega ao comprador;
  • Oferecer proteção de dados ao cliente.

Por isso, é muito importante que você conte com uma plataforma que possua muitas extensões e seja bem personalizável, para que ela seja capaz de atender o seu negócio.

Aqui na StartSite nós trabalhamos com a WooCommerce, que é uma plataforma de e-commerce do WordPress.

Trata-se da plataforma de e-commerce mais utilizada do mundo, justamente pela facilidade em programar, SEO amigável e pelas várias extensões que oferece.

E se você quer evitar a burocracia de criar um site do zero, programá-lo por conta própria e realizar todas as manutenções necessárias, clique aqui para falar com nossa equipe, pois poderemos auxiliá-lo neste processo.

Você também pode vender um produto anunciando-o na rede social. No entanto, a página não é sua e suas postagens podem nem sempre alcançar o seu público, já que isso não depende apenas de você.

Outra alternativa é o marketplace, que funciona como uma espécie de shopping virtual.

A plataforma oferece o espaço sem a necessidade de criar um site, muitas vezes fica responsável pela entrega e, em troca, cobra uma comissão por cada venda.

4- Defina seu Público-Alvo e Estratégias de Venda

Agora que você já definiu o seu canal de vendas, que diz respeito à forma como você irá comercializar o seu produto, é preciso pensar na estratégia de venda e a quem se direciona.

É claro que você pode apenas postar seus produtos nas suas redes sociais ou na sua loja virtual e esperar todo o restante acontecer, mas também é possível definir estratégias para ir além e alcançar resultados melhores.

Isso porque definir um público-alvo e saber com quem você está conversando irá te ajudar a criar campanhas de marketing, melhores promoções e formas de interagir com essas pessoas.

Não pense que isso é frescura, pois o engajamento do público é uma peça chave para fidelizar os clientes.

O consumidor, muitas vezes, irá priorizar marcas que confia e que sente identificação com os valores que carrega.

Por isso, é muito importante estabelecer formas de interagir com o público e ir além da parte burocrática de apenas postar o que está vendendo. Mais importante do que comercializar é ser lembrado pelo cliente.

5- Planeje sua Infraestrutura de Entrega

Tão importante quanto vender um produto é ter qualidade no seu serviço e um dos mais importantes é a entrega, que impacta diretamente na experiência de consumo do seu cliente.

Existem muitas formas de pensar na logística da sua empresa, afinal, as alternativas são as mais variadas possíveis:

Avalie empresas de entrega

Se você precisar do auxílio de uma equipe para te ajudar na entrega, consulte principalmente os preços e se realiza entregas nas suas principais regiões de atuação.

Lembre-se que um dos principais aspectos que fazem o cliente abandonar a compra é o preço alto do frete. Portanto, negociar uma parceria deve ajudar a reduzir esses custos no valor final da compra.

Não se esqueça de avaliar opções que façam a entrega do produto de forma mais ágil, pois a velocidade na entrega também irá impactar na experiência do consumidor.

Como já dissemos, contar com uma empresa que atue pelo menos onde está a maior parte do seu público pode dar uma grande contribuição para o seu planejamento logístico.

Estude ter uma logística própria de entrega

Em alguns casos, fazer a logística de entrega pode compensar mais para algumas empresas.

Uma opção bastante convencional neste caso é a realização da postagem e despacho de produtos pelos Correios. Neste caso, o próprio vendedor ou empresa ficaria responsável por todo o processo.

Em alguns casos, ter uma frota própria de entrega pode compensar, mas esta é uma boa alternativa para empresas com uma grande estrutura operacional ou que atuam em poucas regiões.

Consulte alternativas oferecidas pelas plataformas

Uma das vantagens oferecidas por algumas plataformas de marketplace é que elas costumam se encarregar da entrega dos produtos.

O único inconveniente nesses casos são as taxas cobradas pelas plataformas, mas pode ser uma boa opção se você estiver procurando uma vitrine para os seus produtos e maior praticidade nas entregas.

Links Para Leitura

Compartilhar: